A chave para sua aprovação: O poder do seu cérebro

A chave para sua aprovação: O poder do seu cérebro

/ 0 Comentários / 1117 Visualizações /

Avalie esse post

Aprenda a cuidar e valorizar o poder do seu cérebro

Aproveite melhor a sua memória e observe o seu estado emocional e as circunstâncias externas no momento do estudo:

Procure estudar sempre no mesmo ambiente e com o mesmo estado de espírito. Crie uma rotina capaz de ser lembrada no momento em que você realiza a prova. Por exemplo: se você estuda sempre no seu quarto, numa determinada hora do dia, ou da noite, antes de iniciar, observe a temperatura, os sons, a claridade e mentalize essas sensações de forma que possa reproduzi-las no dia da prova. Isso deixará você muito mais confortável e tranquilo, como se estivesse fazendo a prova naquele ambiente já conhecido.

O seu estado de espírito também influencia o seu aprendizado porque afeta a sua concentração. Procure controlar as suas emoções antes de iniciar os estudos. Dessa forma, tudo que você aprende será melhor lembrado na hora da prova. Faça um momento de meditação, ou uma oração antes de iniciar os estudos.

Identifique a sua melhor memória

Todos nós temos memórias diferenciadas e devemos identificar a modalidade preferencial, ou seja, a quela que porporciona melhor rendimento e resultado.

Procure identificar se a sua memória visual é a mais relevante e dessa forma, estude escrevendo resumos, fazendo gráficos etc. Se a sua memória auditiva é a mais desenvolvida, procure estudar falando o que lê, cantando ou inventando músicas ou versos sobre os temas mais importantes que precisa memorizar.

Dentro do possível, mantenha sua mente tranquila e tenha uma postura positiva em relação a você mesmo e ao seu sucesso na prova

Jamais faça autocríticas, do tipo: “eu não sei nada; eu não consigo ou eu não vou conseguir; eu nunca estudei e agora não sei como fazer.”

Identificando aquela memória que favorece seu aprendizado será fácil trocar essas afirmações por outras que facilitarão o seu aprendizado, tais como: “Minha memória auditiva é excelente e eu nunca mais vou esquecer essa música; tenho certeza que meus gráficos e esquemas ajudarão na prova, pois minha memória visual não falha nunca, entre outras.

Procure entender que o Direito faz parte da vida de todos nós, que você não está estudando física quântica, por isso, tudo que você precisa saber para a prova está muito próximo da sua realidade e do dia a dia de todos os indivíduos, por essa razão, não existe uma razão para acreditar em bloqueios mentais. Possivelmente suas dúvidas e bloqueios não apresentam uma base real e foram estabelecidas no passado. Isso não deve afetar a vida agora e limitar a sua capacidade de memorização!

Estude com intervalos. A mente precisa descansar e revisar com frequência o que já foi estudado.

Para um resultado efetivo, ou seja, para que você possa lembrar tudo aquilo que estudou, é preciso fazer revisões com intervalos de descanso.

Já falamos na necessidade de criar uma rotina de estudo e as revisões dos conteúdos estudados são imprescindíveis.

Todas as informações apreendidas devem ser programadas para revisões periódicas e permanentes em 1 dia, 1 semana, 1 mês, dependendo do tempo disponível até o dia da prova.

Você deve elaborar um calendário que contemple a leitura e estudo das informações novas, e a leitura (revisão) da matéria já estudada. Dessa forma, todo conteúdo será fixado e lembrado na hora da prova.

Cuide do seu cérebro e da sua saúde

A energia necessária para qualquer atividade vem da boa alimentação e da glicose que é fonte primária de energia para o cérebro. Se a glicose não estiver disponível na corrente sanguínea, o cérebro não pode operar com a sua eficiência máxima. Portanto, evite estudar sem estar bem alimentado e procure ingerir alimentos durante os estudos, especialmente se os período forem longos para não perder o rendimento e o poder de memorização.

Evite: a) alimentar-se em abundância antes de estudar, pois todo esforço estará concentrado na digestão e o sono será invencível;b) ingerir qualquer substância que cause sedação, incluindo álcool, medicamentos que controlam ansiedade e outras drogas, ainda que estimulantes, pois o cerébro não trabalhará com eficiência nessas condições.

Observe a hora de fazer intervalos

A exigência que imprimimos em relação ao nosso corpo tem limites e todos nós já sentimos isso. Com o cerébro não é diferente. Procure observar a queda de rendimento nos estudos e programe intervalos sempre no mesmo período e dentro de curtos espaços, os intervalos longos dispersam e o rendimento cairá ao retormar as atividades. Aliás, essa rotina de intervalos é imprescindível e será aplicada no dia da prova, por essa razão, os intervalos devem ser breves. Levante, como alguma coisa, tome água e retome os estudos! Dessa forma você respeita o seu cerébro e obtém mais rendimento. Isso será repetido no dia da prova, quadno você fará um bloco de questões e um intervalo quando sentir que seu rendimento caiu. No dia da prova, mantenha a mesma rotina com os intervalos.

Crie gatilhos de memória

Procure fazer associações entre as disciplinas e entre coisas ou situações do seu cotidiano. Associe o que você precisa lembrar a questões não ligadas à matéria, por exemplo locais de uma viagem, pessoas da sua família etc.

Por exemplo: selecione alguns tópicos da matéria estudada, os mais relevantes e associe aos nomes de seus primos, dessa forma, quando lembrar dos primos, lembrará dos pontos da matéria.

Pronto! Você criou gatilhos de memória para lembrar da matéria importante para a prova.

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *