Pode Chamar de Sonho… – Exame de Ordem

/ 0 Comentários / 788 Visualizações /

Avalie esse post

Sonho pode ser definido como aquilo que vivemos quando dormimos. São aquelas associações de imagens, desconexas e confusas, que se formam no nosso inconsciente, resultado de estímulos externos. Sigmund Freud e Carl Jung promoveram estudos ligados à psicologia para explicar os sonhos como ferramentas importantes para nos conhecermos melhor.

 

O sonho também pode ser visto como uma ilusão, fantasia, que se esvai em determinado tempo ou circunstância da vida. Nesse caso não tem nenhuma programação ou prazo. Alguns sonham em ganhar na loteria, outros em encontrar o príncipe encantado.

 

O sonho pode, diferente dessas ideias anteriores, representar um ideal, um projeto de vida, uma verdadeira meta a ser alcançada e, nesse caso, ser muito mais concreto, palpável, programável e factível. Não se trata de uma ficção, ou devaneio, mas de uma condição para a sua realização pessoal e profissional.

 

Todos somos movidos por esses sonhos que não se distanciam dos valores, princípios e relações que consideramos imprescindíveis para nossa felicidade. Encarar nossos sonhos como metas para nossa plena realização, estabelecendo planos e prazos para conquistá-los é um caminho certo para o sucesso.

 

O sonho de se formar na faculdade não é um devaneio, uma fantasia, mas uma realidade que exige do estudante uma série de tarefas para que possa ser concretizado. Cumprir todas essas obrigações para atingir a meta de obter o diploma, depende de organização, empenho, planos de estudo, programação etc.

 

Avaliar seus sonhos como metas alcançáveis é transformar seu comportamento para que os procedimentos necessários sejam realizados, no tempo certo, e da forma capaz de proporcionar a superação de cada etapa até chegar ao objetivo, que antes se chamava apenas sonho.

 

Sonho parece algo fluido, não palpável, algo que deixamos escapar, que foge entre os dedos. Metas não! As metas são reais, atingíveis e dependem de ações. Exigem seriedade, comprometimento e ações, que devem ser cumpridas com prazos pré-definidos.

 

Isso não vale só para você, que está prestes a realizar o Exame de Ordem, afinal faltam poucos dias. Pensar que nossos sonhos são metas nos torna mais fortes e mais confiantes para qualquer situação que temos que enfrentar.

 

Se eventualmente nossa programação foi falha, se o tempo foi curto, se não cumprimos com o cronograma, o que frequentemente acontece, a qualquer momento podemos reprogramar tudo e pensar que a meta é sempre realizável.

 

O que ainda é possível fazer para melhorar a minha performance dentro do prazo para alcançar a minha meta?

 

Note, não é cobrança! Não julgue a si mesmo. Trata-se de programação!

 

Ainda que o seu tempo seja curto agora, pensando especialmente naquela prova que você tem que fazer, ou na entrevista para qual não se preparou o suficiente, avaliar o que não fez não ajuda em nada!

 

Pense apenas na meta, no seu objetivo a ser alcançado e comece a agir pensando exclusivamente naquilo que ainda pode ser feito, e não no que poderia ter sido feito há seis meses, ou na semana passada.

 

Sempre é possível fazer mais quando estamos focados em atingir um objetivo específico. Encare seu sonho como meta e torne-se o executor dessa tarefa!

 

Pode até chamar de sonho….

 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *