Reconstrução

/ 0 Comentários / 50 Visualizações /

Avalie esse post

Passamos um bom tempo de nossas vidas em construção de nós mesmos, da nossa personalidade, do que vamos ser e acreditar durante todo o resto de tempo nessa existência e muitas pessoas são “importantes” nesse processo. Algumas nos fazem acreditar que somos inteligentes, bonitos, quase perfeitos, e outras exatamente o oposto, essas influências são capazes de criar indivíduos seguros e felizes, ou exatamente o oposto.

 

Um dia, porém, percebemos que algo não se ergueu sob bases tão sólidas, com uma estrutura firme e segura, mas, como ainda está de pé, não parece ser necessário um movimento radical para sustentar o longo período que ainda está por vir. Parte disso, com toda certeza, vem de insegurança acerca do novo projeto e das provas que temos que enfrentar, como o Exame da OAB.

 

Outra parte, vem da necessária mudança de comportamento, pois nada muda, se não mudarmos a nós mesmos primeiro. Essa é a reconstrução necessária que um dia, cada um de nós já pensou, mas poucos realizaram.

 

Se algo não vai bem em nossas vidas, em qualquer setor que pensemos, no trabalho, com o chefe, com os filhos, com o marido ou namorado, com os empregados da empresa, enfim seja lá o que for que não nos agrada como antes, ou ainda se não estamos conseguindo vencer algum desafio, devemos primeiro mudar nosso pensamento e nossa atitude em relação a essas pessoas e provas, para só então, esperar resultados efetivos.

 

Quando fazemos tudo sempre da mesma maneira e percebemos que não está dando certo, devemos mudar, buscar uma nova estratégia, aplicar novos conhecimentos e principalmente identificar a razão porque não estamos atingindo os objetivos pretendidos.

Quando desejamos resultados diferentes, a primeira mudança deve ser em nós mesmos, em nossas atitudes, nossos hábitos, nossa forma de lidar com o outro. Para obter o resultado pretendido não basta ter conhecimento, não basta ser “fera” naquela (s) matéria (s), é preciso ter disciplina, trabalhar também o lado emocional, a auto confiança, aplicar uma metodologia adequada para que todo conhecimento possa ser adequadamente armazenado e utilizado quando chegar a hora da prova.

 

Lembre-se que a sua aprovação no Exame da OAB não depende só da sua dedicação aos estudos, mas da aplicação do método de estudo correto, que envolve pensar nas seguintes questões: Quais disciplinas devem ser priorizadas? Quais são os temas, dentro de cada matéria, mais recorrentes?

Tire essas e outras dúvidas aqui no OAB de Primeira. Mande suas dúvidas. Comente nossas dicas.

 

Estamos aqui empenhados para sua aprovação! Mas, como estamos falando de reconstrução e a vida não é só o Exame da OAB, gostaria de concluir esse comentário falando das nossas dificuldades com pessoas.

 

Quando a dificuldade está ligada a pessoas, devemos perguntar se o problema é realmente do outro (chefe, marido, filho, amigo), da sua personalidade, do seu humor, da sua falta de educação? Ou está na forma como lidamos com algumas dificuldades, ou como nos expressamos com essa outra pessoa.

 

Precisamos buscar, antes de julgar, de condenar, a mudança da nossa maneira de encarar e lidar com os outros e com a realidade que nos cerca, para só depois, esperar qualquer alteração no tratamento que recebemos, seja no ambiente profissional, familiar, com nossos amigos etc.

 

Todos nós podemos fazer a diferença na vida de alguém e, como disse Madre Teresa de Calcutá: “Se você tiver estado com uma pessoa e não tiver feito a diferença na vida dela, você jamais esteve com essa pessoa”.

 

 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *