10 livros que todo estudante de Direito deve ler

/ 1 Comentário / 50384 Visualizações /

10 livros que todo estudante de Direito deve ler
5 (100%) 2 votes

Todo mundo está cansado de saber que se tem uma coisa que não falta no Direito são milhares de livros para ler. Por conta disso, muitos estudantes acabam deixando a leitura por prazer um pouco de lado, principalmente na época de provas.

 

Mas, se você é daqueles que gostam de aliar diversão e aprendizado, a lista a seguir, com 10 livros clássicos que todo estudante de Direito deve ler, vai te animar a colocar mais livros na sua lista infinita. Com grandes nomes da literatura, a aprendizagem é garantida!

 

 

Lei também:

> 10 dicas para memorizar leis, normas e códigos de direito

 

 

  1. Crimes (Ferdinand von Schirach)

Advogado criminalista, von Schirach recria em seu primeiro livro muito dos casos que vivenciou em tribunais alemães. O grande feito de Crimes está no poder de argumentação e persuasão apresentado pelo autor.

 

  1. Culpa (Ferdinand von Schirach)

Segundo e mais recente livro de von Schirach lançado no Brasil, Culpa retorna à estética de Crimes e permite ao leitor entrar em um universo incrível. Assim como na obra anterior, o autor usa da própria experiência delimitar o que é culpa perante o tribunal.

 

  1. O Processo (Franz Kafka)

Romance inacabado do escritor tcheco, a obra é uma alegoria à culpa e à burocracia. Às voltas em uma acusação que desconhece, Joseph K. repentinamente abandona o cotidiano suburbano que tinha.

 

  1. Na Colônia Penal (Franz Kafka)

A novela magistral de Kafka narra a macabra prisão onde os detentos têm a sua sentença gravada na pele. O escritor novamente dialoga com a burocracia e inscreve um ambiente mórbido, beirando o expressionismo.

 

  1. Crime e Castigo (Dostoievski)

Um dos pilares da literatura mundial, Crime e Castigo conta a história do estudante Raskólnikov, autor de um crime nas ruas de São Petersburgo. A sua salvação pode estar na teoria que criou para justificar seu ato, baseada em César e Napoleão.

 

  1. 1984 (George Orwell)

O ano é 1984 e a população é dominada por um partido que cria guerras para fomentar o lucro, sob o lema “Guerra é paz; liberdade é escravidão; ignorância é força”. As pessoas são proibidas de pensar, se relacionar com outras e todos são vigiados pelo Grande Irmão.

 

  1. O Mercador de Veneza (Shakespeare)

A peça, escrita entre 1596 e 1598, conta os dias de um mercador do século XVI que precisa se livrar de uma dívida com um judeu. O caso vai a julgamento quando o comerciante deixa o coração como garantia de pagamento.

 

  1. O Estrangeiro (Albert Camus)

Mersault é um homem sem grandes qualidades e sua única preocupação é acabar com os trâmites burocráticos da morte de sua mãe e voltar para casar para sair com a vizinha. O clímax do livro acontece quando Mersault mata um árabe em uma praia.

 

  1. Laranja Mecânica (Anthony Burgess)

O livro que inspirou o filme homônimo conta a história de Alex, um delinquente juvenil, capaz dos atos mais violentos, que acaba em um experimento de reabilitação. Aos poucos, Alex vai percebendo o ser humano que era até que o passado retorna, porém, desta vez, ele próprio é a vítima.

 

  1. Os Sofrimentos do Jovem Werther (Goethe)

A história de amor de Werther é também uma das mais trágicas, a ponto de causar uma onda de suicídio entre seus leitores. Considerado como o precursor do romantismo, a obra é um dos pilares da literatura mundial.

 

 

Com esses livros, é possível sair um pouco do mundo dos códigos e leis, mas sem deixar de adquirir conhecimento. E aí, já leu algum dessa lista? Conta pra gente nos comentários! 😉

 

 

 

Com informações de Paraná Online

1 Comentário

  1. O Príncipe – Maquiavel

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *