3 maneiras (comprovadas pela ciência) de melhorar sua memória

/ 0 Comentários / 1782 Visualizações /

Avalie esse post

Problemas na hora de memorizar o conteúdo são muito comuns entre os estudantes, principalmente quando aliados ao nervosismo e ansiedade. Pode parecer estranho, mas uma pesquisa realizada em 2013, identificou que jovens adultos, com idades entre 18 e 34 anos, têm mais dificuldade de lembrar de coisas do cotidiano do que pessoas com mais de 55 anos.

 

O resultado obtido foi: lembrança de datas (15% vs. 7%), onde guardam as chaves (14% vs 8%), fazer o almoço (9% vs 3%) e até de tomar banho (6% vs 2%), em favor dos mais experientes.

 

Para não sofrer tanto com os esquecimentos, principalmente das matérias que caem na prova do Exame de Ordem, vale testar essas dicas, baseadas na ciência, para recuperar o controle da sua memória:

 

  1. Associe suas memórias com objetos físicos

Procure fazer associações entre disciplinas, temas e exemplos com nomes de objetos. Parece um truque estranho, mas funciona. Para facilitar ainda mais, tente rimar o nome do objeto com uma palavra-chave. Associando conceitos a objetos fica mais fácil de lembrar. E, claro, quanto mais absurdas forem as associações mais fácil é lembrar delas.

 

  1. Não memorize apenas por repetição

Decorar o conteúdo pode até funcionar em alguns casos, mas basta acontecer alguma mudança no roteiro ou um ‘branco’ para que a pessoa se perca. Memorizar algo de fato depende da aprendizagem. Então, realmente estude sobre o assunto e procure exemplos da teoria na prática. Pesquisas mostram que apenas a repetição automática pode até impedir que você se lembre de pontos importantes sobre o tema.

 

  1. Rabisque!

Estudos indicam que rabiscar enquanto recebemos informações auditivas aumenta a nossa capacidade de memória. Uma pesquisa de 2009 mostrou que, pessoas que rabiscavam enquanto ouviam uma lista de nomes, lembravam 29% a mais dos nomes ditos. Isso também acontece quando fazemos anotações com formatos e cores diferentes. Agora você já sabe: quando for desenvolver um esquema de estudo, com os principais assuntos da matéria, aposte nos rabiscos e incentive a memória visual.

 

 

Com informações de Revista Galileu

 

 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *