As principais causas de reprovação no Exame da OAB

/ 1 Comentário / 3716 Visualizações /

Avalie esse post

A dificuldade em ser aprovado no Exame de Ordem e poder exercer a profissão de advogado é praticamente uma unanimidade entre os candidatos. A explicação está no alto número de reprovados. Mas, afinal, quais são as principais causas de reprovação no Exame da OAB?

 

O exame foi instituído em 1963 pela Lei 4215/63, mas regulamentado definitivamente somente em 1994, quando a OAB assumiu a responsabilidade de fiscalizar e aplicar a prova, tornando a aprovação obrigatória para o exercício da profissão de advogado. Em 2009, o exame foi unificado para todo o país.

 

Com um índice de reprovação flutuando entre 80% e uma média de quatro tentativas para alcançar a aprovação, o desânimo entre os candidatos é compreensível. Os estudantes são realmente os grandes responsáveis pela reprovação? Veja a seguir os principais fatores que elevam o número de reprovados na OAB.

 

 

Leia também:

> Pesquisa da FGV apresenta os número do Exame de Ordem

 

 

  1. Deficiência nos ensinos anteriores

O despreparo de alguns estudantes pode ser explicado pela deficiência do ensino fundamental e médio, refletido diretamente na universidade. Essas lacunas acompanham o estudante até o ensino superior, onde muitas faculdades não possuem a estrutura necessária para suprir tais deficiências. Isso nos leva ao próximo item.

 

  1. Falta de iniciativa do aluno

De nada adianta um ensino de qualidade se o aluno não demonstrar qualquer interesse em aprender. Existem diversos casos de candidatos que não tiveram acesso à um ensino básico de qualidade, mas desenvolveram uma iniciativa própria em busca de conhecimento fora dos limites da sala de aula e conquistaram a aprovação. Nesses casos, cursos preparatórios para a OAB podem ser uma ótima escolha!

 

  1. Baixa qualidade dos cursos de Direito

Retornando ao primeiro item e fechando o ciclo, outra causa provável para o alto número de reprovados no Exame de Ordem é a baixa qualidade dos cursos de Direito. Com a universalização do ensino no Brasil, que prega somente a acessibilidade do aluno, sem exigir uma qualidade necessária, os cursos jurídicos tornaram-se também mais um campo de perpetuação dessa falta de qualidade.

 

 

Não há dúvidas de que o caminho para reverter o alto índice de reprovação é qualificar o estudantes, com um ensino sólido, desde a base até a excelência profissional.

 

E vocês, o que acham? Concordam com as causas de reprovação citadas acima? Contem pra gente nos comentários!

 

 

1 Comentário

  1. A REPROVAÇÃO NO EXAME DA ORDEM,DECORRE PRINCIPALMENTE DA BAIXA QUALIDADE DE ALGUNS CURSOS DE DIREITO, FORMADA EM 2007 ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI SER APROVADA SOU POBRE FIZ O CURSO DE DIREITO COM MUITO SACRIFÍCIO. FIZ VÁRIOS CURSOS DE PREPARAÇÃO COM MATERIAL ATUALIZADO SEMPRE.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *