Vade Mecum: o que pode e o que não pode no dia da prova

Vade Mecum: o que pode e o que não pode no dia da prova

/ 0 Comentários / 8202 Visualizações /

Vade Mecum: o que pode e o que não pode no dia da prova
3 (60%) 1 vote

O OAB de Primeira já esclareceu quais são os materiais permitidos e proibidos para consulta no dia da prova. Entretanto, as dúvidas sobre o Vade Mecum e como realizar marcações são frequentes, decidimos aprofundar o assunto.

 

O Vade Mecum é o grande companheiro do estudante de Direito e torna-se amigo inseparável do candidato ao Exame de Ordem. Durante a aplicação da 2ª fase do Exame, a consulta do Vade Mecum é permitida de acordo com as regras ditadas pelo Edital de Abertura.

 

Na hora de escolher o Vade Mecum que te acompanhará no dia da prova, prefira os que não possuem remissão doutrinária, jurisprudência, informativos dos tribunais ou quaisquer comentários, anotações ou comparações, requisitos proibidos pelo edital. Além disso, fique atento e invista sempre em material atualizado para não sair no prejuízo!

 

Quanto às marcações, são permitidas: sinalizações com a utilização de marca texto, traço, clipes, cores, marcadores de página coloridos, post-it e similares, sem nenhum tipo de anotação manuscrita ou impressa nos recursos utilizados para fazer a separação, exclusivamente com a finalidade de separar códigos e legislações.

 

A última dica, porém a mais importante: conheça, estude e esteja bem familiarizado com o seu Vade Mecum. Verifique se não há nada proibido, mas se houver, isole o conteúdo com grampo, fita adesiva ou outro meio permitido pelo edital. Marque os códigos e legislações que você irá utilizar e saiba onde estão localizados para otimizar seu tempo durante a prova.

 

 

 

Deixe seu Comentário