Família de Nissim Ourfali perde processo contra o Google

Família de Nissim Ourfali perde processo contra o Google

/ 0 Comentários / 102 Visualizações /

Avalie esse post

Você se lembra daquele viral disseminado pela internet em 2012, com um garoto em uma baleia? Dois anos após a grande repercussão do vídeo de comemoração do Bar Mitzvá de Nissim Ourfali, a família do garoto perdeu o processo movido contra o Google, onde solicitava a retirada do conteúdo do ar. A sentença foi proferida em junho e o processo tramita em segredo.

 

O clipe foi encomendado pela família Ourfali, especialmente para a comemoração judaica, e tinha como trilha sonora uma paródia da música “What Makes You Beautiful“, do grupo One Direction, que contava um pouco sobre a vida do garoto. Inicialmente, a filmagem era para ser visualizada apenas pelos convidados, porém o pai de Nissim postou publicamente o vídeo em uma rede social para compartilhar com familiares.

nissim (2)

Foto: Reprodução/Youtube

O juiz, da 1ª Vara Cível de São Paulo, negou o pedido da família que exigia do Google a retirada do vídeo, sob argumento de que é impossível determinar que todo o material com o garoto fosse retirado sem que a indicação das páginas onde está hospedado.

 

O magistrado ainda afirmou que a disseminação em larga escala é um fator a ser considerado, mesmo que faça sentido a exclusão de conteúdos prejudiciais à imagem de menores de idade. “Para espanto do autor, a circulação do vídeo tomou proporções inimagináveis, à medida que o vídeo postado alcançou a impressionante marca de 3 milhões de visualizações”, relatou o juiz na decisão.

 

Por conta da produção de outros vídeos satirizando Nissim, a família argumentou que estava ocorrendo ofensa a seus direitos personalíssimos e requisitou que o Google excluísse quaisquer publicação que contasse com o nome, a voz ou a imagem de Nissim, independentemente da hospedagem sendo no Youtube, Orkut ou Blogger, empresas pertencentes ao grupo Google.

 

O Google se defendeu afirmando que era inviável retirar o conteúdo sem a indicação dos endereços de hospedagem. Até porque em 2012, a Justiça havia concedido liminar para retirada do vídeo em algumas páginas, porém a filmagem foi republicada sistematicamente em outros endereços, além de se transformar em produto de montagens, covers e notícias em diversos meios de comunicação, provocando um efeito em cadeia incontrolável. Contudo, o processo ainda cabe recurso e a família Ourfali deverá arcar com as despesas processuais.

Com informações de O Globo

 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *