O WhatsApp pode mesmo sair do ar? Entenda o caso!

/ 0 Comentários / 114 Visualizações /

Avalie esse post

Foto: Reprodução/WhatsApp

 

Além do vestido que muda de cor, outra polêmica foi motivo de muita discussão e desespero durante essa semana. Uma decisão da justiça do Piauí colocou em risco o funcionamento do aplicativo WhatsApp no Brasil.

 

O juiz Luiz Moura Correia foi o responsável pela decisão que determinava a suspensão do serviço de mensagem pertencente ao Facebook. A decisão foi tomada em 11 de fevereiro e teria sido comunicada à Telefônica Vivo no dia 19.

 

O motivo seria o descumprimento de uma ordem judicial que pedia informações, não liberadas pelo WhatsApp, ligadas a um processo iniciado em 2013 referente a imagens compartilhadas por usuários. A investigação é liderada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e segue em segredo de justiça.

 

Em nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública do Piauí, o órgão informa que todas as decisões judiciais foram tomadas com base na Lei que instituiu e disciplinou o Marco Civil da Internet.

 

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), que reúne as operadoras de telecomunicações, emitiu um comunicado afirmando que o bloqueio do WhatsApp é descabido e deve prejudicar milhões de usuários do serviço.

 

Para alívio geral da nação, na tarde desta quinta-feira, 26, o desembargador Raimundo Nonato Alencar, do Tribunal de Justiça do Piauí, derrubou a decisão. Segundo ele, o ato punitivo aplicado pelo juiz não é razoável. “A suspensão de serviços afeta milhões de pessoas em prol de investigação local”, justificou Alencar na sentença.

 

A Polícia Civil do Piauí comunicou que pretende aplicar novas medidas punitivas contra o WhatsApp, até que a empresa colabore com as investigações em andamento.

 

 

Com informações de Revista Exame e UOL Tecnologia

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *