Passei na OAB, e agora?

/ 0 Comentários / 1119 Visualizações /

Avalie esse post

Depois de muito estudo e dedicação, finalmente você conquistou a aprovação no Exame de Ordem e tornou-se oficialmente um advogado. Mas, e agora, como planejar sua carreira e decidir qual área do Direito seguir?

 

Aprovado no Exame? Saiba o que fazer para retirar sua carteirinha!

 

A carreira de advogado exige aperfeiçoamento constante, além da fluência em um segundo idioma ser essencial atualmente. Sendo assim, o recém-aprovado precisa traçar metas e seguir um planejamento com determinação e disciplina. O dilema entre “seguir carreira pública” ou “advogar” deve ser decidido após analisar os prós e contras de cada opção.

 

Áreas de atuação

Existem diversas áreas que o Bacharel em Direito pode atuar, sendo algumas mais promissoras do que as já saturadas. Dentre as opções estão: Direito Civil, Penal, Trabalhista, Previdenciário, Tributário, do Consumidor, Internacional, Empresarial, Ambiental e Administrativo. Essas áreas valem tanto para quem quer seguir carreira jurídica pública quanto para quem opta por ser Advogado.

 

Carreira Pública

Passar em um concurso público e desenvolver carreira jurídica é a meta de muitos profissionais formados em Direito. Isso se deve à estabilidade do cargo, além dos salários e benefícios atraentes. Porém, os concursos são extremamente concorridos e é necessário muito preparo e dedicação. Os cargos mais disputados são:

– Defensor Público: presta assistência jurídica a cidadãos que não têm condições de pagar um advogado, nos órgãos de Defensoria Pública da União ou Defensorias Estaduais;

– Advogado Público: trabalha na Advocacia Geral da União, Advocacias Gerais dos Estados ou em Procuradorias Municipais, atuando na defesa de interesses de cada um;

– Delegado de Polícia: coordena e chefia a função de polícia judiciária da União, além de administrar a questão do estrangeiro no Brasil, efetuar a segurança de autoridades estrangeiras, entre outros.

– Magistrado: conhecidos como Juízes de Direito, Desembargadores ou Ministros. Funcionário investido de autoridade jurisdicional, administrativa ou política que visa a defesa dos interesses dos cidadãos.

– Promotor ou Procurador de Justiça: uma das carreiras mais almejadas e concorridas, o promotor é um membro do Ministério Público e atua na defesa dos interesses da sociedade nos Ministérios Públicos Estaduais e Federal.

 

Docência

Para ministrar aulas em faculdades de Direito é preciso mais do que o título de bacharel. O advogado que tiver interesse em seguir carreira docente deve possuir o título de Mestre ou Doutor, experiência profissional e habilidade com ferramentas de ensino. Todos esses requisitos demandam certo planejamento.

Publicar pesquisas e artigos científicos, participar de palestras, desenvolver a oratória e traçar um plano para o Mestrado, são itens fundamentais para iniciar a carreira na área.

 

Carreira de Advogado

Os desafios da profissão são muitos, mas os resultados podem ser recompensadores. Veja algumas possibilidades:

– Ter escritório próprio: o advogado atua por conta própria, defendendo seus clientes ou prestando assessoria jurídica para empresas. Este profissional corre o risco da instabilidade, pois trabalha de forma independente e precisa custear um espaço físico com infraestrutura, além de fidelizar clientes. A flexibilidade de horários e os altos ganhos são pontos atrativos.

– Atuar como funcionário de outro escritório: após a aprovação no Exame de Ordem, é frequente que o advogado comece a carreira como funcionário em um escritório. Dessa forma, é possível adquirir experiência em diversas áreas, especializar-se em uma delas e ainda contar com uma certa estabilidade.

– Ser advogado correspondente: presta serviços para advogados ou escritórios de outras cidades. O correspondente atua na obtenção de informações sobre processos, realização de realização de audiências, oitivas de testemunhas, protocolos, prestação de assessoria jurídica, distribuição de ações, despachos, acompanhamentos de julgamentos, entre outros. A função pode ser conciliada com outras atividades, proporcionando um aumento nos ganhos.

 

 

Com informações de JurisCorrespondente

 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *