Pesquisa aponta que quem estuda é mais feliz e tem maior expectativa de vida

/ 0 Comentários / 169 Visualizações /

Avalie esse post

De acordo com um levantamento realizado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) intitulado de “What are the social benefits of education?” (“Quais são os benefícios sociais da educação?”, em tradução livre) realizada em 15 países (na qual o Brasil não faz parte), quem estuda mais tende a ser mais feliz, além de ter uma expectativa de vida maior.

 

Os autores da pesquisa disseram que “a educação ajuda as pessoas a desenvolver habilidades, melhorar a sua condição social e ter acesso à redes que podem ajudá-las a terem mais conquistas sociais”.

 

Segundo o estudo, as pessoas que estudam são mais felizes, pois possuem satisfações em diferentes esferas de sua vida. Esse nível de satisfação pessoal é de, em média, 18% a mais para quem têm nível superior em relação àquelas que pararam no ensino médio.

 

Expectativa de Vida

O estudo mostra que um homem de 30 anos, por exemplo, pode viver mais 51 anos, caso tenha formação superior, enquanto aquele que cursou apenas o ensino médio viveria mais 43, ou seja, oito anos menos. Essa disparidade é mais acentuada na República Tcheca, onde os graduados podem viver 17 anos a mais. Já os portugueses, asseguraram a diferença mais baixa, apenas 3.

 

No caso das mulheres, a diferença não é tão acentuada: a expectativa média de vida é de quatro anos a mais para as universitárias. À frente desta tabela estão as nascidas na Letônia, que vivem quase nove anos mais do que aquelas que interromperam os estudos.

Deixe seu Comentário