Roubar comida de colega de trabalho pode acabar em demissão

Roubar comida de colega de trabalho pode acabar em demissão

/ 0 Comentários / 1009 Visualizações /

Avalie esse post

A denúncia de uma funcionária acabou causando a demissão do colega de trabalho que foi flagrado furtando comida. A assistente de comunicações relatou que havia deixado uma sacola com iogurtes e queijo na geladeira da empresa e que, após uma hora, percebeu que a sacola havia sido revirada.

 

A equipe de segurança foi acionada e, enquanto as imagens eram analisadas, o colega de trabalho que cometeu a infração procurou a funcionária, pediu desculpas e pediu que ela retirasse a queixa. No entanto, o segurança já havia constatado o furto, através das imagens, e informado aos superiores que decidiram pela demissão do funcionário sem justa causa.

 

A assistente de comunicações se defende, “A minha iniciativa não foi para prejudicar ninguém, mas sim para que fosse feita justiça. Eu senti uma revolta e indignação muito grande, porque eu nunca teria coragem de roubar o que fosse de ninguém”. Além disso, ela relata que os casos de furto de comida eram recorrentes na empresa e que, após a demissão do funcionário, os episódios diminuíram.
Outro caso semelhante ocorreu com uma técnica em radiologia. Ela deixou sua marmita na geladeira e quando foi almoçar, a comida não estava mais lá. “Nunca tinham mexido na minha marmita, mas no dia em que eu levei bacalhau com camarão pegaram. Quando eu levava salsicha e linguiça em um pote de R$ 1 ninguém pegava, mas foi levar uma comida mais sofisticada em um pote de marca que furtaram tudo”, conta.

 

A prática de furtos no ambiente de trabalho pode gerar demissão por justa causa. No entanto, para que a penalidade possa ser aplicada sobre o responsável pelo delito, é necessário que o ato seja devidamente comprovado através de imagens de câmeras de segurança, por exemplo.

 

A advogada trabalhista Daniela Ribeiro afirma que: “O empregador pode aplicar penalidades disciplinares para punir as faltas praticadas pelos empregados. As punições devem ser proporcionais às faltas cometidas, podendo variar entre advertência, verbal ou escrita, suspensão e até demissão, com ou sem justa causa. Se comprovado o furto ocorrido no ambiente da empresa, praticado pelo empregado, é possível que ele seja demitido por justa causa, por ato de improbidade, previsto no artigo 482 da CLT.”

 

“A empresa só pode ser responsabilizada se os bens furtados estiverem em local onde havia promessa de guarda e vigilância, como armários com chave oferecidos ao empregado. Caso contrário, o empregador não pode ser responsabilizado pelo furto de pertences de valor deixados na empresa pelos empregados.”, completa a advogada.

 

 

Com informações de: G1 Notícias

Deixe seu Comentário